REDUTO TRADICIONAL DO SHUAIJIAO DE BEIJING: UMA EXPERIÊNCIA ANTROPOLÓGICA

Quando chegamos à Beijing nessa última viagem à China, não imaginávamos que iriamos vivenciar uma experiência extremamente próxima da cultura chinesa. Mais precisamente da cultura do Shuaijiao de Beijing.

Tudo começou coma a visita ao Mestre Ma Jianguo que fizemos assim que chegamos a Beijing. Após uma longa e divertida conversa, rumamos para um restaurante tradicional de comida Islâmica, onde diversos lutadores e mestres de Shuaijiao se encontram com frequência.DSC06828

Da academia até o restaurante foram apenas 10 minutos de carro. Pensar em tempo de deslocamento em Beijing na perspectiva de 10 minutos ser um luxo, pois a cidade é enorme. É uma Megalópole. Assim, rapidamente chegamos ao restaurante.

DSC06829Em uma primeira olhada, vimos dois chineses praticando chicote no estacionamento do restaurante. Era um lugar escuro, com pouco movimento, onde se poderia treinar com certo conforto e privacidade. Apenas os fregueses do restaurante passavam em frente ao local de treinamento. Há de se destacar que encontrar dois chineses treinando chicote no escuro não é uma visão muito comum. Não é fácil de ver no cotidiano da maioria dos praticantes de artes marciais. E por isso pensamos que estávamos em um local diferenciado. E o som chicote era impressionante, marcava um ritmo que nos acompanhou até o interior do restaurante.DSC06810

Ao entrarmos no restaurante nos deparamos com um ambiente bucólico, pouca luz, e muitas referências espalhadas pelo local. Fotos, troféus, roupas de treino, equipamentos, o ar era denso. Parecia um local que estava ali há muito tempo. E que era frequentado por personagens de filmes antigos de Hong Kong. Nós nos entreolhamos com surpresa e estranheza, eu, Plínio, Ortega e o Professor Gavião. Para esse, o ambiente era ainda mais estranho, pois ele é praticante de taekwondo e estava mais familiarizado com a cultura coreana.DSC06809

De qualquer forma foi estranho, mas aprendemos muito. Aprendemos sobre os hábitos, costumes e cultura do Shuaijiao de Beijing. O espírito do Shuaijiao de Beijing estava ali, impregnado naquele lugar e nas pessoas que ali estavam.DSC06814

O engraçado é que nem comecei a falar sobre os pratos, sobre a culinária do local. Quando iniciamos a viagem até Beijing, soubemos que o Mestre Ma estava em viagem de trabalho em um campeonato nacional de Shuaijiao em Shangxi, uma província distante de Beijing umas sete horas de trem, aproximadamente. Nesse campeonato havia cerca de 400 atletas do país todo. Os campeões das categorias eram premiados com medalhas, um valor em dinheiro e… um bode! Isso mesmo, um bode.DSC06822

Dizer que um campeão ganha uma medalha é normal, que ganha um valor em dinheiro é diferente, mas tudo bem. O esporte está indo bem. Mas dizer que ele ganha um bode… é exótico no mínimo. Mas essa cultura de premiar o campeão com o bode vem da tradição mongol. E a China quer que essas tradições sejam mantidas. E assim, o campeonato nacional de Shuaijiao premia seus campeões com medalhas, dinheiro e… bode.DSC06815

E por que eu estou escrevendo sobre o bode? É uma pergunta pertinente. Porque quando os pratos vieram nesse jantar, a impressão que tive era que estávamos comendo o banquete de um campeão de Shuaijiao, se é que vocês me entendem. Mas comer carne de bode não é problema, não concordam? No nordeste brasileiro isso é normal, estamos acostumados. Então por que se preocupar? É porque só tinham vísceras… de bode. Ou seja, comemos uma iguaria de campeões que não incluía a carne propriamente dita. Coisa do Shuaijiao de Beijing, ou cultura mongol.DSC06816

Bom, enquanto comíamos vísceras de bode e conversávamos sobre diferentes coisas da cultura chinesa, e mais especificamente sobre o Shuaijiao, e lá fora… os estalos do chicote. Já faziam duas horas e o som não parava. Os caras estavam treinando sem parar. Os estalos do chicote marcavam o tempo e o ritmo das nossas conversas e é claro, da comida. Como não conseguimos nenhuma foto do pessoal treinando, vou colocar um pequeno vídeo do treinamento de chicote de um membro da escola de Shuaijiao do Mestre Li Baoru (click aqui para ver o vídeo).

Em um dado momento Mestre Ma e o nosso anfitrião sr. Sheng, o dono do restaurante, começaram a explicar as fotos que estavam na parede. Eram fotos de amigos e mestres de Shuaijiao. A mais antiga era de 1958 retratava a seleção de Beijing que estava indo a um campeonato nacional. Estavam nas fotos pelo menos três gerações de professores de Shuaijiao de Beijing. Um tesouro em termos de imagens e de histórias que elas contam.DSC06811

DSC06827Uma verdadeira aula de história, cultura e costumes de Beijing, e do Shuaijiao de Beijing. Momentos raros como esse ficam na memória para sempre e nos fazem entender melhor o Shuaijiao e a cultura chinesa. Possibilita que nosso aprendizado seja mais qualificado e nos incentiva a continuar treinando e aprendendo. Aliás, a continuidade do aprendizado e do treinamento são fatores preponderantes para a nossa boa formação como praticantes e futuramente como bons professores.DSC06818

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s